sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Exercícios físicos no combate contra a depressão


Problema, que atinge 17% da população mundial, pode ter a solução na prática de atividade física, principalmente para os idosos

Enquanto a depressão promove redução da prática de atividades físicas, exercícios podem ser coadjuvantes na prevenção e no tratamento da depressão

São Paulo - A depressão é um dos grandes problemas da sociedade moderna, e atinge cerca de 17% da população mundial. O problema assume contornos de saúde pública se considerarmos que, apesar de contarmos com diversas opções de medicamentos para o trato farmacológico da depressão, somente 30 a 35% dos pacientes depressivos respondem ao tratamento com psicofármacos. Segundo a médica geriatra Janise Lana Leite, com especialização em fisiologia do exercício e treinamento resistido na saúde, doença e no envelhecimento, a solução pode estar na prática de atividade física, principalmente para os idosos.

"A Ciência ainda não esclareceu completamente os mecanismos que fazem da atividade física uma boa arma contra a depressão. Mas vários estudos comprovaram que a depressão pode prejudicar a capacidade funcional nas atividades de rotina dos idosos (tomar banho, comer, vestir-se) e na mobilidade (caminhar ou subir e descer degraus sem ajuda). A falta de independência no desempenho dessas atividades pode estar associada com dores físicas crônicas, inatividade física e medo de quedas. Rotinas de exercício que incluíram alongamento, equilíbrio, caminhada, musculação, força e coordenação mostraram ser eficientes na redução dos níveis de depressão para idosos com recente histórico de quedas", diz.

Segundo a médica, por conta de resultados como estes, pode-se afirmar que a relação entre a atividade física e a depressão é inversamente proporcional: enquanto a depressão promove redução da prática de atividades físicas, a atividade física pode ser um coadjuvante na prevenção e no tratamento da depressão no idoso.

"Independente da faixa etária, todos podem se beneficiar do exercício físico no combate à depressão. Trata-se mesmo de uma questão de saúde pública, já que a atividade física se apresenta como uma forma de tratamento acessível, barata, não farmacológica e capaz de gerar benefícios que excedem os efeitos antidepressivos, promovendo o bem-estar biopsicossocial", revela.

De acordo com a especialista, sobre a população idosa, é importante que os profissionais de saúde estejam atentos e preparados para identificar e conduzir de maneira correta o tratamento dos pacientes idosos com depressão. "Esses profissionais têm a função de modificar o modelo atual, cuja tendência consiste em adotar ações que visam primordialmente à medicalização das manifestações de desequilíbrio da saúde mental. Não existe um método melhor do que o outro: para cada caso, condutas terapêuticas distintas podem ser as mais recomendadas."



2 comentários:

EU FAÇO MINHAS ESCOLHAS ! disse...

Fla´via eu mesma pude comprovar como a atividade física nos afasta da depressão!!!
Hoje qdo alguém comenta que está deprimido eu não tardo em recomendar: vá caminhar!!!! Só isto já irá e fazer um bem que vc não pode imaginar!!!!
No começo é ruim, vc não está afim, puxa fica cansada!!! Mas se persistir, não consegue mais ficar sem!!!! Qdo não vou caminhar cedinho, meu dia não rende!!!
Bjocas

Lili disse...

Nossa ao que parece exercícios físicos são simplesmente perfeitos e não tem nenhuma contra indicação... Devemos todas nos motivar e nos dedicar a eles para garantir uma vida mais saudável.
Obrigada por dividir isso conosco...bjokas